ENQUETE GAZETA Enquete - Gazeta de Rio Preto
GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Saúde

Em Rio Preto, caminhão da Saúde volta às atividades

Veículo foi submetido a reformas e ampliação e vai percorrer a cidade fazendo, de maneira gratuita, exames de HIV, sífilis e hepatite B e C

A Prefeitura de Rio Preto recolocou em atividade, nesta quinta-feira, dia 17, o Caminhão da Saúde, que durante três meses foi submetido a reformas para modernização e ampliação, que custaram R$ 183 mil aos cofres do município. O prefeito Edinho Araújo (MDB), o secretário de Saúde, Aldenis Borim e a gerente de DST/Aids do município, Maria Amélia Zanon Ponce Rocha, acompanharam o reinício dos trabalhos, na praça Rui Barbosa.

O Caminhão da Saúde é equipado para realizar exames de HIV, sífilis e hepatite B e C, e vai atuar de forma itinerante, passando por empresas, universidades, loteamentos irregulares e locais onde moradores tenham acesso limitado aos sistemas de saúde convencionais e estejam em alto grau de vulnerabilidade às doenças.

Para o secretário de Saúde, Aldenis Borim, é importante que a população saiba da existência e utilize os serviços que são prestados pela unidade móvel. “O caminhão vai se deslocar de acordo com as necessidades apresentadas pelos agentes de saúde e é importante que os moradores da região onde houver a atuação façam os exames que são oferecidos”, afirmou.

A gerente de DST/Aids de Rio Preto, Maria Amélia Zanon Ponce Rocha, destacou as formas de contaminação das doenças e a importância do diagnóstico precoce na eficiência do tratamento. "Vale ressaltar que estas doenças são contagiosas e o modo de transmissão vai desde a relação sexual desprotegida até a ida a salão de beleza, sem utilização de kit individual. Portanto, as pessoas que ainda não realizaram o teste podem procurar a unidade, uma vez que é a única maneira de se fazer a detecção para que se inicie o combate”, afirmou.

A Unidade de Redução de Danos Itinerante (URDI) foi implantada em 2001, como resultado de um termo de cooperação entre a UNODC (United Nations Office on Drugs and Crime) e a coordenação nacional do Departamento de IST/HIV/Aids e hepatites virais, inicialmente como estratégia para redução de danos em usuários de drogas injetáveis, sendo uma das poucas unidades itinerantes de testagem do Brasil.

Na retomada das atividades, o primeiro paciente a passar pelos exames de sangue foi o prefeito Edinho Araújo, que lembrou que poucas cidades dispõem do serviço que está sendo oferecido em Rio Preto. “A cidade conta com este atendimento diferenciado, que vai fazer todo o trabalho de triagem e aconselhamento sem que a pessoa precise ir a uma unidade de saúde”, afirmou.

Por Getúlio Salvador em 17/05/2018 às 23:59