Saúde

Cresce busca por alimentos orgânicos e oportunidades no setor em Rio Preto

A Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, vem dando especial atenção aos pequenos produtores rurais do município. Dentre eles, os que produzem de alimentos orgânicos – livres de agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos – também vêm sendo apoiados por políticas públicas de incentivo à atividade.

Os brasileiros estão procurando se alimentar melhor, e isto significa maior consumo de produtos frescos e orgânicos. Se nos últimos anos a ida ao supermercado vinha sendo marcada pelo maior acesso aos produtos industrializados, agora existe uma preocupação crescente com o consumo de frutas, verduras, ovos e peixes

A Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, vem dando especial atenção aos pequenos produtores rurais do município. Dentre eles, os que produzem de alimentos orgânicos – livres de agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos – também vêm sendo apoiados por políticas públicas de incentivo à atividade.

Segundo a CATI, Coordenadoria de Assistência Técnica Integral da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, umas das organizadoras do II Fórum de Orgânicos realizado dentro da Expo 2017 no último dia 11, a busca por esse tipo de produto vem aumentando.

“Dos renomados chefes de cozinhas rio-pretenses a donas de casa de toda a região, são diversos os interessados em adquirir produtos livres de agrotóxicos. Diariamente, atendemos pessoas querendo adquirir orgânicos direto do produtor”, comenta o engenheiro agrônomo Andrey Vitorelli Borges, da CATI Rio Preto.

O movimento indica uma busca da população por uma alimentação mais saudável, que garanta mais qualidade de vida, além de ser ótima oportunidade de negócio.

“O maior desafio é o produtor conseguir a certificação que garanta ao consumidor final a procedência orgânica. Custa cerca de R$ 4 mil para obtê-la, o que acaba implicando no custo dos produtos. Mas, à medida que mais pessoas consomem orgânicos, facilita a possibilidade de o produtor custear a certificação e, assim, trabalhar com valores mais próximos dos não-orgânicos”, explica Borges.

O engenheiro agrônomo conta que uma das ações do Governo Estadual para equacionar a questão é a concessão do Certificado de Produção Agroecológica aos produtores que não utilizam nenhum tipo de agrotóxico há pelo menos um ano. Gratuita, a certificação acontece mediante acompanhamento mensal da produção, e garante qualidade ao consumidor.

Parte dos produtos fornecidos ao Banco de Alimentos e à merenda da rede municipal de ensino (que este ano destinaram R$ 3,8 milhões para aquisição junto a pequenos produtores) vem da produção local de orgânicos. A expectativa é que essa parcela aumente já em 2018.

Quem quiser adquirir produtos orgânicos direto do produtor pode aproveitar a Feira Livre que acontece na Praça do Vivendas, toda quarta-feira, a partir das cinco da tarde.

 

SERVIÇO

Feira Livre de Produtos Orgânicos

Toda quarta-feira, a partir das 17h

Na Praça do Vivendas

 

Por Da Redação em 21/10/2017 às 14:00
JK Essencial Residence