Psicologia

Como reconhecer um psicopata?

A psicopatia ou sociopatia são os nomes populares do Transtorno de Personalidade Anti-social. Diferente do que muitos imaginam nem todos cometem assassinatos, muitos possuem empregos inclusive com posições importantes na sociedade. E estão bem mais perto do que pensamos.

Estudos indicam que 3% da população têm transtorno de personalidade anti-social, isso significa que a cada 100 pessoas que conhecemos 03 podem apresentar algum nível desse transtorno . A prevalência é maior em homens, porém existem mulheres também.

Mas se eles estão tão próximos e não percebemos, como podemos reconhecer um psicopata?

Pessoas com transtorno de personalidade anti-social geralmente apresentam falta de empatia (indiferença aos sentimentos alheios, incluído dor ou sofrimento), irritabilidade e agressividade, comportamento impulsivo e desrespeito a normas, regras inclusive leis.

Além dessas características esses indivíduos não se preocupam com o bem-estar do outro, não demonstram arrependimento pelos enormes prejuízos que causam àqueles que convivem com eles, são muito manipuladores e persuasivos, mentem e/ou enganam com facilidade, até mesmo para ter “ganhos” com a situação. Muitas vezes culpam a vítima pelos seus atos.

Por não sentirem remorso e terem grande capacidade de manipulação muitos desses indivíduos alcançam sucesso em suas profissões, pois conseguem agir de maneira bastante fria alcançando cargos altos e muito sucesso em suas carreiras. Segundo pesquisa da Universidade de Oxford as profissões mais comuns entre eles são: Diretores de empresas (cargos de chefia em geral), Advogados, Cirurgiões, Jornalistas, Policiais, Pastores e padres, Chefs de cozinha, Políticos e Funcionários públicos. Nesses casos eles canalizam a perversidade para algo socialmente aceito.

 Esse transtorno inicia-se na infância ou na adolescência e podem ser observados através de comportamentos agressivos. Quando crianças não demonstram sensibilidade ao sofrimento dos pais, irmãos, amigos ou animais de estimação, são egoístas,individualistas, manipuladoras e interesseiras.

 

O tratamento para transtorno de personalidade anti-social é extremamente difícil e muitas vezes as pessoas com esse transtorno aceitam o tratamento apenas para evitar as consequências para seus atos.

Se você acredita ter alguém próximo a você com esse transtorno procure ajuda profissional, pois o profissional poderá ajudá-lo lidar melhor com essa pessoa, evitando problemas no futuro.

Monica Soares, Professora universitária, Psicóloga, psicoterapeuta, Especialista em educação e terapia sexual, aluna especial do Programa de Mestrado em Sexualidade-USP.

Por Monica Soares em 09/06/2016 às 11:00
JK Essencial Residence