Psicologia

Vamos falar de abuso?

Esse é um assunto que muitos não gostam nem de pensar, quanto mais de falar. Mas falar sobre o abuso sexual é necessário, pois é falando que conseguimos prevenir e proteger as vítimas.

 Vamos falar de abuso?

Esse é um assunto que muitos não gostam nem de pensar, quanto mais de falar. Mas falar sobre o abuso sexual é necessário, pois é falando que conseguimos prevenir e proteger as vítimas.

Diariamente são noticiados casos de abusos ou violência sexual, seja contra crianças, adolescentes, adultos e idosos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde violência sexual é “qualquer ato sexual ou tentativa do ato não desejada, ou atos para traficar a sexualidade de uma pessoa, utilizando repressão, ameaças ou força física, praticados por qualquer pessoa independente de suas relações com a vítima, qualquer cenário, incluindo, mas não limitado ao do lar ou do trabalho”.

 Portanto abuso, violação e assédio sexual são considerados tipos de violência sexual.

O abuso sexual é dividido em 4 categorias: estupro, pedofilia, assédio sexual e exploração sexual profissional.

Estupro
O estupro é definido como a prática sexual sem consentimento, mediante violência ou ameaça, estando a pessoa consciente ou não. Muitas vezes o estuprador, tem sentimentos de inadequação ou insegurança em relação à sua sexualidade, sentimentos de onipotência e impunidade entre outros desvios como sadismo ou transtornos de personalidade.

Pedofilia
 A pedofilia é considerado um transtorno caracterizado por adultos que têm preferência sexual por crianças ou adolescentes. Também é considerado abusador aquele que tem no mínimo 16 anos de idade e é pelo menos 05 anos mais velho que a vítima.

O código penal considera crime a relação sexual ou ato libidinoso (todo ato de satisfação do desejo, ou apetite sexual da pessoa) praticado por adulto com criança ou adolescente menor de 14 anos.  Então “adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente é crime”.

Assédio Sexual
O Assédio Sexual é a ação de uma aproximação sexual não-bem vinda, uma solicitação de favores sexuais ou qualquer conduta física ou verbal de natureza sexual geralmente por uma pessoa em posição hierárquica superior ou de maior “status” em relação à outra.

Exploração Sexual
A exploração Sexual é quando um indivíduo recebe lucro financeiro ou de valor através da prostituição ou de favores sexuais realizados por outra pessoa.

 

O que fazer?

 

Todas as situações descritas acima são crimes. A vítima nunca deve ser responsabilizada pelo ato criminoso.

Muitas vezes a nossa cultura atribui a vitima a responsabilidade pelo ocorrido, favorecendo a impunidade.

Diante de qualquer desconfiança referente a uma das situações acima devemos buscar ajuda imediatamente. Pois as conseqüências emocionais, psicológicas e até mesmo físicas podem durar pela vida toda.

Vítimas de abuso podem desenvolver sentimentos de culpa, dores, medo, insônia, transtornos alimentares, baixa autoestima, isolamento, agressividade, problemas sexuais, depressão até mesmo suicídio.

Monica Soares, Professora universitária, Psicóloga, psicoterapeuta, Especialista em educação e terapia sexual, aluna especial do Programa de Mestrado em Sexualidade-USP.

Por Monica Soares em 23/05/2016 às 16:00