GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Política

Ministério Público quer novos esclarecimentos sobre tapa-buraco

Promotor Carlos Romani investiga, por exemplo ‘cratera’ de 571 metros quadrados

O promotor de Justiça Carlos Romani deve encaminhar em breve pedido de informações sobre serviço de tapa-buraco em Rio Preto. Os esclarecimentos serão feitos à Secretaria de Trânsito e fazem parte de investigação aberta pelo Ministério Público que apura irregularidades no serviço reveladas por CPI na Câmara Municipal.
Em julho o promotor abriu inquérito depois de ter recebido relatório final da CPI que investigou serviços no setor, como superfaturamento e irregularidades nas medições dos buracos. Com a abertura do inquérito, a Justiça pode convocar novas pessoas para prestar depoimentos, além de solicitar documentos e ter acesso a dados na Prefeitura referente ao serviço de Tapa-Buraco, como é o caso de agora. Os serviços foram feitos durante o governo do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB).

A polêmica em torno da cratera

O que mais salta aos olhos depois de finalizada as investigações por parte da CPI na Câmara foi sobre crateras encontradas em medições de contrato de tapa-buraco. Uma delas, na avenida Domingos Falavina, na zona norte, tinha 571 metros quadrados.
A Prefeitura usou o contrato de correção pontual para asfaltar um bolsão de estacionamento na avenida. Outras "crateras" do tipo chamam atenção de vereadores, como quatro 'buracos' em sequência, tapados em dezembro de 2014, na avenida Alberto Andaló, que somam mais de mil metros quadrados. Cada um deles com cerca de 400 metros quadrados.
Em relação a cratera de 571 metros quadrados a Prefeitura recorreu a contrato de serviços exclusivos de tapa-buraco para pavimentar estacionamento em recuo da avenida Domingos Falavina, no Jardim Nunes, bairro na zona norte da cidade. O trecho fica em frente ao clube do sindicato dos metalúrgicos.
O serviço foi realizado em 7 de outubro de 2013 pela empresa Usina do Vale. O contrato para correções pontuais, o popular tapa-buraco, foi assinado pelo ex-secretário de Trânsito Aparecido Capello, durante governo de Valdomiro Lopes. Na época, tanto a pasta de Trânsito, quando a de Serviços Gerais, usaram o mesmo contrato para tapar buracos.
A medição do buracão foi assinada por Roger Aparecido Batista, então na Secretaria de Serviços Gerais, que já foi exonerado para acomodar indicado do vereador Fábio Marcondes. Balista ocupava cargo indicado pelo vereador Paulo Pauléra (PP).

Por Raphael Ferrari em 14/09/2018 às 11:30
JK Essencial Residence