GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Política

Rio Preto vai ganhar mais três pontos de apoio

Projeto prevê construção de áreas e remodelação de mais três; prazo para execução é de 120 dias e cidade passará e ter 18 locais para descarte de materiais

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), assinou, na tarde de quinta-feira, dia 5, a ordem de serviço para a construção de três pontos de apoio e a reforma total de outros três pontos já existentes a cidade. O investimento total no valor de R$ 1,1 milhão será feito pela empresa Atacadão S.A. e a execução das obras ficará a cargo da empresa Pietra UNO Engenharia Ltda.

A previsão é de que os pontos fiquem prontos em quatro meses, contados a partir desta quinta-feira. Os três pontos de apoio que serão construídos são no Jardim Nova Esperança, na vicinal João Parise, que liga Rio Preto ao distrito de Engenheiro Schmidt, e no Parque Lealdade e Amizade. Passarão por reformas os pontos dos bairros Jardim Santo Antônio, Jardim Nazareth e Solo Sagrado. Depois de executado o projeto, a cidade vai passar a contar com 18 pontos de apoio, locais designados para descarte de pequenas quantidades de resíduos da construção e demolição e peças de grandes volumes, como móveis velhos.

Os novos pontos passaram por remodelações e os materiais descartados nos locais não ficarão mais no chão e sim em Roll-ons (espécie de caçamba) com capacidade para até 30 metros cúbicos. As áreas também foram ampliadas, passando de 800 para 1000 metros quadrados.

O prefeito, que implantou os pontos de apoio na cidade em 2001, primeiro ano dele à frente da Prefeitura de Rio Preto, falou da importância de recuperar as áreas para descarte de materiais “Este é um momento muito especial para nossa cidade. Os pontos de apoio são importantes para a organização, para o meio ambiente, para a saúde e para evitar incêndios”, afirmou.

O secretário de Planejamento, Israel Cestari, lembrou que Rio Preto foi a segunda cidade do Brasil a criar os pontos de apoio – a primeira foi Belo Horizonte – e que para manter a qualidade do serviço das áreas é necessária a manutenção e limpeza constantes. “O modelo funcionou muito bem porque a limpeza era feita constantemente. Depois de um período sem manutenção alguns pontos de apoio se deterioraram e ficaram praticamente obsoletos. A coisa pública precisa de cuidados constantes, como fazemos na nossa casa, no nosso carro e assim por diante”, disse.

Os vereadores Jean Charles (MDB), Celso Peixão (PSB), Karina Caroline (PRB), Anderson Branco (PR) e o afastado Pedro Roberto (PRP), que estavam no gabinete do prefeito no momento da assinatura da ordem de serviço, foram unânimes em apontar o “abandono” aos pontos de apoio durante o mandato do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB).

Por Getúlio Salvador em 05/07/2018 às 23:59