ENQUETE GAZETA Enquete - Gazeta de Rio Preto
GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Política

Cobrança digital na Área Azul deve chegar a 100% na próxima semana

Sistema implantado no final de março vai cobrir área total onde existe estacionamento rotativo com antecipação de quase um mês do prazo estimado pela Emurb

Rio Preto deve contar, a partir da próxima semana, com sistema de cobrança digital para estacionamento rotativo funcionando em todos os pontos onde exista a Área Azul. A cobertura de 100% da área será concluída com praticamente um mês de antecedência em relação ao previsto pela Emurb (Empresa Municipal de Urbanismo), que esperava atingir todos os locais no final de junho. Até o momento, a cobrança digital está sendo feita em 85% dos setores.

A Gazeta de Rio Preto apurou que na próxima semana, 20 agentes, que estavam em férias ou de folga quando os demais passaram pelo treinamento para uso do equipamento que utiliza o sistema “QR Code” receberão as instruções. Segundo as informações, após a implantação total da cobrança digital, a Emurb vai dar de 30 a 60 dias para que os cartões impressos, que já foram comercializados, sejam usados e que, após o período, a empresa vai disponibilizar um sistema de troca do papel por créditos, para que não haja perda por parte dos motoristas.

A Emurb deve, no entanto, suspender a venda dos talões assim que 100% dos agentes tiverem à disposição o aparelho que será usado para a cobrança digital. O cartão continuará, por tempo determinado, a ser comercializado nos pontos de venda até que um novo sistema de venda de créditos pela internet seja implantado pela Emurb e pela Empro (Empresa Municipal de Processamento de Dados). A Emurb e a Empro começaram no dia 28 de março a implantação do novo sistema de cobrança da Área Azul, em Rio Preto. O setor 106, no bairro Redentora, foi o primeiro ponto utilizar o “QR Code”. Pelo novo sistema, o cartão de estacionamento é gerado na hora da compra, por meio de impressoras portáteis, e tem validade de duas horas, com o valor atual de R$ 3,50. Os agentes da Área Azul fiscalizam o cartão por meio de escaneamento feito pela câmera dos smartphones, que foram disponibilizados no kit individual de trabalho. No comprovante impresso constam data, horário, a placa do carro e o QR Code. O prefeito Edinho Araújo (MDB) disse, na época, que a implantação do aplicativo de cobrança da Área Azul era “uma questão de honra” para o governo. Em janeiro, um sistema desenvolvido pela empresa Innovare Cartuchos foi disponibilizado. Logo no primeiro dia, o aplicativo apresentou uma série de problemas de ordem técnica, que obrigaram a Emurb a manter o método convencional de cobrança, feita por meio de talões impressos.

Os problemas aumentaram e causaram uma das maiores crises enfrentadas pelo atual governo, e que resultou, inclusive, na exoneração de Vânia Pelegrini, que era a diretora presidente da Emurb à época. A Prefeitura formou uma comissão de sindicância que apurou irregularidades e fez sugestões para a sequência do trabalho da empresa. Uma delas, prontamente acatada pelo prefeito, foi a de acabar com a Área Azul nos bairros Boa Vista e Santa Cruz, locais considerados “inviáveis” pelo baixo fluxo de veículos. Os agentes foram remanejados para intensificar a prestação do serviço no Centro e no bairro Redentora, onde a cobrança segue normalmente.

Por Getúlio Salvador em 31/05/2018 às 23:59