ENQUETE GAZETA Enquete - Gazeta de Rio Preto
GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Política

Depois de problemas com Área Azul, Emurb vira alvo de auditoria

Grupo de trabalho vai analisar documentos da empresa e produzir relatório que será entregue ao prefeito Edinho Araújo; portaria com a nomeação dos membros foi assinada nesta quinta-feira, dia 11

A Emurb será alvo de uma auditoria que vai analisar licitações, contratos, sistema de compras e demais procedimentos adotados pela empresa nos últimos anos. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira, dia 11, pelo presidente interino da empresa, Ângelo Bevilacqua. Também na quinta-feira, o prefeito Edinho Araújo (PMDB) assinou uma portaria que criou o grupo de trabalho para a realização das apurações.

O grupo é formado pelo secretário de Administração, Luís Roberto Thiesi, e por seis servidores municipais efetivos, que são o assessor da secretaria da Fazenda José Martinho Wolf Ravazzi Neto, o agente administrativo Matheus Saletti Leal, a analista fazendária Ana Lúcia de Lima Garcia, o engenheiro civil da Secretaria de Obras Paulo Rodolfo Fialho Coutinho, o agente fiscal de posturas da Secretaria da Fazenda, Vagner Vicentim e o jornalista da Secretaria de Comunicação Social, Ademir Terradas.

Em entrevista coletiva, concedida no final da tarde de quinta-feira, Ângelo Bevilacqua disse que o trabalho do grupo vai ter duas vertentes. Uma delas é a auditoria e a outra é uma consultoria, que vai auxiliar na gestão. Segundo Bevilacqua, o trabalho da comissão não tem prazo estabelecido para ser concluído e o relatório final será entregue ao prefeito Edinho Araújo, de quem deve partir as decisões relacionadas aos resultados das apurações. A nomeação do grupo de trabalhofez com que a antiga comissão instituída para apurar possíveis irregularidades na Emurb, fosse extinta.

Bevilacqua disse que o grupo já começou a trabalhar, avaliando licitações e contratos firmados pela empresa. “Neste primeiro momento nossa prioridade é checar todos os contratos, incluindo essa licitação, e avaliar a situação financeira dessa empresa pública, assim como estabelecer estratégias para sua recuperação”, disse o presidente interino.

Aporte financeiro

O presidente interino falou sobre os R$ 350 mil, aporte financeiro que a Emurb recebeu no final do ano passado, depois de a Câmara aprovar o repasse em sessão extraordinária. Segundo ele, se houver qualquer forma de uso indevido, o dinheiro vai ser devolvido. Ângelo Bevilacqua afirmou ainda que, paralela ao trabalho de auditoria, a implantação do programa que permite o controle digital do tempo utilizado no estacionamento e cobrança por aplicativo de celular é prioridade. “Estamos trabalhando junto com a Empro e vamos finalizar o projeto. Mas ele só será aplicado quando tivermos totais garantias de seu funcionamento. Será testado à exaustão”, explicou o presidente da Emurb.

No final de dezembro do ano passado a Câmara aprovou a liberação de um aporte financeiro de R$ 350 mil para serem investidos no desenvolvimento e instalação do programa digital para a Área Azul de Rio Preto. Já no primeiro dia de funcionamento, o aplicativo apresentou problemas e a cobrança teve de ser feita no formato utilizado até então, com a compra de um cartão de papel.

No dia seguinte, surgiu a informação de que uma funcionária comissionada da Emurb era também sócia da empresa que venceu a licitação para desenvolver o programa. A servidora foi exonerada imediatamente e o contrato rompido. Na tarde de sexta-feira da semana passada, dia 5, a presidente da Emurb, Vânia Pelegrini, entregou a prefeito Edinho Araújo uma carta onde “deixava” o cargo. O prefeito aceitou o pedido e nomeou Ângelo Bevilacqua, secretário da Fazenda de Rio Preto para assumir a direção da empresa. 

Por Getúlio Salvador em 11/01/2018 às 23:59