Política

Corte de crédito imobiliário gera protestos em Rio Preto

Membros de associação de construtores fazem manifestação pedindo a liberação de recursos do Programa Minha Casa Minha Vida, destinado ao setor imobiliário

Um grupo de aproximadamente 50 construtores, que formam a recém-criada Associação em Defesa do Mercado Imobiliário do Noroeste Paulista (Ademi), fizeram na manhã desta quinta-feira, dia 19, uma manifestação em frente à Superintendência da Caixa Econômica Federal, na avenida Alberto Andaló, em Rio Preto, com o objetivo de dialogar com o banco e com o governo federal para questionar a falta de recursos viabilizados pelo Programa Minha Casa, Minha Vida.

Segundo a associação, cerca de 500 financiamentos são liberados em 11 agências da Caixa na cidade, mas desde agosto menos de 5% deste total está sendo liberado. Há 60 dias, processos em andamento passaram a ser bloqueados e os repasses deixaram de ser feitos

O consultor de investimentos e presidente da associação, Bruno Isgroi, apontou o desequilíbrio econômico que a falta de solução para o problema tem gerado. Para Isgroi, as demissões em massa serão inevitáveis por conta da retirada de circulação do dinheiro que movimentava os negócios do ramo da construção civil. “Houve o congelamento de um sistema que envolve uma série de profissionais. Não haverá alternativa senão as dispensas”, afirmou.

O presidente da Ademi chamou também a atenção para o fato de 8 mil pessoas estarem com projetos de construções em andamento, à espera de uma definição por parte do banco e do governo para poderem finalizar as obras e saírem do aluguel. “O processo é amplo, envolve muita coisa. É necessária uma solução imediata porque tem gente sofrendo prejuízos com a situação que se criou”, afirmou.

Segundo a associação, a manifestação em Rio Preto faz coro às que aconteceram simultaneamente em mais oito estados brasileiros. “É um ato pacífico, que busca apenas chamar a atenção para o problema que está nos afetando e tende a crescer e se complicar ainda mais. Até o momento nenhuma pessoa ligada à Caixa nos deu qualquer posição sobre o que está acontecendo e, principalmente, sobre o que vai acontecer”, disse Isgroi.

Por meio de nota à imprensa, a Caixa Econômica Federal informou que a contratação do crédito imobiliário em 2017 está cerca de 20% superior em relação ao mesmo período do registrado ano passado. O banco afirma que já emprestou mais de R$ 62 bilhões até o final de agosto em todas suas modalidades de crédito.

Por Getúlio Salvador em 19/10/2017 às 23:59
JK Essencial Residence