Política

Rio Preto vai ampliar tratamento de esgoto em 25%

Edinho Araújo assina ordem de serviço para início das obras de ampliação da ETE, que vão elevar a capacidade da estação e fazer com que 600 mil pessoas possam ser atendidas

O prefeito Edinho Araújo (PMDB) assinou na tarde desta terça-feira, dia 5, a ordem de serviço para execução das obras de ampliação da capacidade de tratamento da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) de Rio Preto. Edinho anunciou que a obra vai custar R$ 28,1 milhões e deverá ser concluída em abril de 2019. A construtora Elevação Ltda será a responsável pelo empreendimento. Segundo o prefeito, o que será construído é o quarto módulo da estação de tratamento. Atualmente a estrutura é capaz de cuidar do esgoto que atenda a uma população de 450 mil, o que a cidade já possui, e com as obras a capacidade vai chegar a 600 mil. Após a conclusão do quarto módulo, Rio Preto terá a garantia de esgoto tratado dentro das normas até o ano de 2035.

Do total de recursos que serão investidos na ampliação da estação de esgoto, R$ 25,1 milhões virão do Orçamento Geral da União, do governo federal. A Prefeitura entrará com uma contrapartida de R$ 2,9 milhões, já prevista nos orçamentos deste ano e do ano que vem.

O prefeito Edinho Araújo destacou a sustentabilidade como um dos principais motivos para a viabilização do projeto. Segundo ele, é necessário se antecipar a questões do futuro e trabalhar preventivamente. “Temos que cuidar das questões pontuais, mas olhar para frente e preparar a cidade para receber o desenvolvimento a que se propõe. Aumentar a capacidade de tratamento do esgoto é um dos pontos de partida para que possamos atrair empresas e investidores para Rio Preto”, afirmou.

Edinho destacou também a questão ambiental e a necessidade do tratamento do esgoto por questões de saúde. Para ele, o investimento em infraestrutura que será feito agora vai refletir também em qualidade de vida da população que tende a crescer nos próximos anos. “Existem leis específicas e que visam cada vez mais controlar a qualidade do tratamento de esgoto. O que será empregado nesse projeto vai ser revertido, em um futuro não tão distante, em bons indicadores ambientais e de saúde”, comentou.

O superintendente do Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Semae), Nicanor Batista, disse que as obras devem começar em 60 dias, assim que o corpo de engenharia da autarquia der o aval para o serviço, e que um atraso de cinco anos será corrigido. “Acredito que em dois meses os serviços já estejam em andamento. Precisamos apenas definir detalhes técnicos para que os operários comecem a trabalhar. Esta obra era para ser executada em 2012, mas o projeto ficou paralisado e a capacidade de operação da estação que temos hoje chegou ao limite. Existe um atraso considerável, mas agora, finalmente, começaremos a trabalhar na ampliação”.

O prefeito Edinho Araújo havia recebido no dia 16 de junho a sinalização do secretário Nacional de Saneamento Ambiental, Olavo de Andrade Lima Neto, informando a expedição da AIO (Autorização de Início de Objeto) para as etapas de ampliação, construção de interceptores e estação elevatória de esgoto. O projeto corria no Ministério das Cidades e fazia parte de um “pacotão” de R$ 80 milhões para obras de saneamento e abastecimento de água liberados pela pasta e que contou com apoio do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes.

De acordo com o projeto da Prefeitura, logo após as obras da ETE de Rio Preto serem finalizadas, o distrito de Talhado deverá receber a construção de uma estação elevatória que vai transferir o esgoto captado na região para também ser tratado nos módulos de Rio Preto.

 

Por Getúlio Salvador em 05/09/2017 às 23:59
JK Essencial Residence