Política

Incluído na Lista de Fachin, Rillo poderá ser investigado pela Procuradoria do TRF

Identificado como “Boiadeiro” em planilha da Odebrecht, Rillo é acusado por delatores de receber R$ 500 mil em Caixa 2

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, encaminhou à Procuradoria do Tribunal Regional Federal, em São Paulo pedido de abertura de inquérito contra o deputado estadual João Paulo Rillo (PT). O petista foi citado em delação premiada por supostamente se beneficiar de Caixa Dois durante as eleições de 2012, quando concorreu à Prefeitura de Rio Preto.

Segundo três delatores, ele recebeu ilegalmente R$ 500 mil da empreiteira. O nome do deputado é citado nos depoimentos de Guilherme Pamplona Paschoal, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis e Luiz Eduardo Rocha Soares, todos funcionários da empresa.

O nome de Rillo constaria nas planilhas do setor de propinas na Odebrecht sob o codinome de “Boiadeiro”.  Caberá a Procuradoria do TRF decidir se há indícios suficientes para a abertura do inquérito contra o parlamentar.

À Gazeta, o deputado negou ter recebido doações do Grupo Odebrecht e afirmou que confia nas investigações para esclarecerem “falsas acusações sobre uma prática que venho publicamente repudiando ao longo da minha vida política”. (Leia abaixo nota na íntegra)

Em nota enviada pela assessoria, o deputado afirma que é o principal interessado em buscar a verdade sobre a origem e motivação da inclusão de seu nome como destinatário de uma doação, que jamais foi recebida por mim legalmente ou por caixa 2.

Abaixo, a nota na íntegra:

 

NOTA ESCLARECIMENTO – CAMPANHA 2012

Nenhuma indagação feita pela Justiça ficará sem resposta após eu obter acesso ao conteúdo oficial do procedimento encaminhado ao TRF. Destaco a natureza oficial das contribuições recebidas pela minha campanha em 2012, provenientes de doações partidárias e de pessoas físicas e jurídicas, identificadas publicamente junto à Justiça Eleitoral, que aprovou minhas contas.

Jamais pactuei com interesses privados e muito menos do Grupo Odebrecht. Ao longo da minha trajetória política, tenho defendido o fortalecimento do Semae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), de São José do Rio Preto, e o caráter público do serviço de abastecimento de água e saneamento de esgoto, compromisso reafirmado, pública e literalmente, na campanha de 2012, nos debates e programas eleitorais na TV (confira links:https://youtu.be/1A4v0Zmf6Lk e https://youtu.be/L8rxPSVIbwQ).

No combate à corrupção, duas das mais de 40 representações à Justiça apresentadas por mim tiveram como alvo o Grupo Odebrecht. A representação registrada sob o Protocolo Nº 0075053/11, no MPE-SP / PJPPS (Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social), resultou na denúncia de 14 executivos de construtoras da Linha 5 do metrô de São Paulo, incluindo a Construtora Odebrecht, por fraude à licitação. A representação com o Protocolo Nº 0109150/13 trata de ato de improbidade por omissão de Geraldo Alckmin em não coibir a corrupção nos trens e metrô de SP, incluindo contratos suspeitos com a Odebrecht.

Sou o principal interessado em buscar a verdade e confio nas investigações para esclarecerem falsas acusações sobre uma prática que venho publicamente repudiando ao longo da minha vida política.

João Paulo Rillo – Deputado Estadual

Por Ademir Terradas em 12/04/2017 às 19:50