NADA DISSO

A ação do prefeito contraria as expectativas de Dornelas, que esperava, com base no placar da votação, que Edinho não se manifestasse, deixando à Procuradoria do Estado a “missão” de buscar, judicialmente, impedir a aplicação do conteúdo da matéria. No entanto, o prefeito, que argumentou, ao vetar o projeto, que tinha “convicções pessoais”, além de um parecer da Procuradoria do Município contra a proposta, parece estar disposto a resolver a questão por conta própria.

Por em 12/04/2018 às 23:59