DISCUSSÃO

De acordo com a intenção do prefeito em exercício, o futuro do Escola Sem Partido será decidido depois de um debate entre o vereador autor da matéria, e secretária municipal de Educação de Rio Preto, Sueli Costa, e profissionais ligados à área do ensino. O texto deve também ser submetido à análise da Procuradoria Geral do Município, para se pronunciar sobre a legalidade. Caso o prefeito opte por não sancionar o projeto, o veto será votado em plenário.

Por em 09/11/2017 às 23:59