Estradas

Em Rio Preto, motoristas reclamam de congestionamento na SP-310

Na mesma semana em que rodovia é classificada como ‘ótima’ em pesquisa da CNT, obras de recapeamento travam trecho próximo a Mirassol

Classificada como “ótima” em pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Transportes (CNT) e divulgada nesta semana, a rodovia Washington Luís (SP-310) apresenta congestionamentos no trecho urbano de Rio Preto enquanto governo e concessionária que administra a via não entram em acordo quanto a construção da faixa adicional. “Teve um dia que demorei quase uma hora e meia entre Mirassol e Rio Preto. É um absurdo essa lentidão. Atrasa muito”, afirma o motorista Ricardo Soares Silva, de 33 anos.

No mês passado, a Triangulo do Sol começou as obras de recapeamento da pista no perímetro urbano de Rio Preto, o que tem causado lentidão notrânsito, sentido Catanduva. Por meio de nota, a concessionária falou sobre a questão. “A AB Triângulo do Sol informa que no segmento da Rodovia Washington Luís (SP-310) correspondente ao trecho urbano de São José do Rio Preto e Mirassol, os serviços relativos à Terceira Intervenção no Pavimento ocorrem entre 9 e 16 horas para não haver interdição de faixa de rolamento nos horários de pico – das 7 às 8h30 e das 16h30 às 19h, – inclusive por solicitação da Polícia Militar Rodoviária. No momento, as condições climáticas da região não estão favoráveis para a realização dos serviços. Contudo, a concessionária está trabalhando para concluir as atividades programadas no menor prazo possível, caso haja condições normais de operação e clima”, afirmou a empresa.

Questionada sobre a data prevista para conclusão, a empresa se limitou a citar as chuvas como causa da não finalização das obras.

 

Faixa adicional

No começo de outubro o Ministério Público pediu ao Tribunal de Justiça de São Paulo que julgasse favorável a ação que cobra a execução das obras da terceira faixa da rodovia no trecho urbano de Rio Preto. A manifestação do MP foi publicada depois de o estado de São Paulo e a concessionária Triângulo do Sol afirmarem que não são responsáveis pelo empreendimento.

O órgão pediu ainda que o Tribunal rejeitasse qualquer argumento do Estado e que o condenasse a começar a construção da faixa adicional dentro do prazo estipulado, sob penade R$ 10 mil por dia de atraso.

No dia 27 de julho deste ano a Justiça determinou que o governo teria oito meses de prazo para começar as obras, que teriam 16 quilômetros de extensão e iriam do trevo de Engenheiro Schmidt até o clube Monte Líbano, limite entre Rio Preto e Mirassol.

A Procuradoria Geral do Estado, então, protocolou recurso junto ao TJ afirmando que a determinação desequilibraria o contrato de concessão e que poderia ter reflexos como aumento de tarifas de pedágio. Outra alegação do governo é a de que, mesmo com o fluxo do trânsito no trecho urbano da rodovia, “não foram identificados problemas relacionados à capacidade da via que justifiquem a ampliação do referido trecho rodoviário”.

Por meio de nota, a AB Triângulo do Sol informou que as obras na SP-310, na região de Rio Preto, não fazem parte do conjunto de obras contratuais, portanto, devem ser previamente aprovadas pelo Governo do Estado de São Paulo e incorporadas ao Contrato de Concessão. A concessionária informa ainda que “a pedido da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) realizou estudos e elaborou projeto funcional referente a estas obras. Todo o material está sendo avaliado pela Agência. Após a aprovação do projeto funcional pela Artesp, inicia-se a etapa de desenvolvimento do projeto executivo”, consta na nota.

Por Getúlio Salvador em 09/11/2017 às 23:59
JK Essencial Residence