Esportes

Imposto não é facultativo, diz presidente do Rio Preto EC

José Eduardo Rodrigues defende o cumprimento do Estatuto do Torcedor durante Conselho Técnico do Campeonato Paulista A-3 de 2018

O presidente do Rio Preto Esporte Clube, José Eduardo Rodrigues, participou na terça-feira, dia 31, do Conselho Técnico do Campeonato Paulista A-3 de 2018, na sede da Federação Paulista, em São Paulo.  Durante a reunião, Rodrigues apresentou todas as certidões negativas de débito do Jacaré, como requer o estatuto da competição, e reafirmou o compromisso do clube pelo jogo limpo dentro do futebol. 

“Registrei com firmeza que o clube está cumprindo o regulamento da competição, assim como prevê o Artigo 14. Já tinha remetido ao presidente da Federação todas as certidões e agora reiterei que imposto é imposto, precisa ser pago. Não é facultativo. O regulamento não está sendo obedecido. Vários clubes não possuem suas certidões negativas, não pagam seus impostos, o que de novo vai desequilibrar a competição”, disse. Rodrigues ressaltou ainda que o artigo 9º, parágrafo 5 do Estatuto do Torcedor é claro, proíbe mudanças no regulamento da competição. “Nossa luta continua na direção de que o regulamento seja cumprido. Continuamos defendendo a moralidade no futebol, a estabilidade das competições, nas áreas esportivas e financeiras e o equilíbrio das disputas. O Rio Preto continua na vanguarda da honestidade e defenderá sempre a depuração do futebol”, afirma.

No Conselho ficou definido que o início do Paulista A-3 será no dia 17 de janeiro. Serão disputadas 19 rodadas para se conhecer os oito classificados e os seis rebaixados. O mata-mata terá duas datas para as quartas de final, duas para semifinais e a decisão será em jogo único. Os jogos serão realizados nas quartas e aos domingos. 

O presidente do Jacaré falou também sobre a verba destinada aos clubes participantes do A-3, que será de R$ 267.500,00, cerca de 40% inferior ao valor do ano passado. “Eles querem que o futebol no interior acabe. Falam de crise, mas o que se vê não é isso. Esse valor destinado aos clubes, além de ser ínfimo, volta quase que em sua totalidade para a Federação, seja para pagar locomoção de árbitros, doping, monitoramento, polícia, impressão dos ingressos, fiscais. Todos os presidentes ficaram decepcionados. Fazer futebol está cada vez mais difícil e decepcionante”.

Mudanças

A principal mudança no Paulistão A-3 foi em relação aos critérios de desempate das fases finais. Diferentemente desse ano, em 2018 prevalecerá a melhor campanha em caso de dois resultados iguais ao invés das penalidades. Outra mudança será a 'limpa' nos cartões amarelos ao término da primeira fase, assim como também acontecerá no Paulistão Itaipava e no Paulistão A2 Itaipava. Cada clube poderá inscrever 28 jogadores em lista única. Os oito classificados poderão substituir quatro atletas após a fase inicial. Atletas lesionados também poderão ser substituídos no decorrer da competição.

STJD marca julgamento de caso do Rio Preto EC para Recife

O Rio Preto Esporte Clube recebeu no dia 26 deste mês ofício do Superior Tribunal de Justiça Desportiva – STJD/RJ – informando que a ação do clube, que tramita no órgão, será julgada no dia 9 de novembro, às 18h, no salão nobre da Federação Pernambucana de Futebol, na cidade do Recife/PE.

Na ação, o Rio Preto pleitea que Federação Paulista de Futebol cumpra o regulamento do Paulista A-2 2017 e a lei do Profut, que obriga os times a apresentarem suas certidões negativas de débitos e estarem em dia com os tributos para se qualificarem na disputa. O Rio Preto reivindica também a reclassificação dos clubes participantes da competição.  “É no mínimo estranho marcar esse julgamento, que envolve um time paulista para Pernambuco. É o tal do tribunal itinerante, mas a nossa luta continua e o Rio Preto estará presente, representado pelo seu departamento jurídico”, afirmou o vice-presidente jurídico, Marco Feitosa.

Por Henrique Fernandes em 31/10/2017 às 23:59
JK Essencial Residence