ENQUETE GAZETA Enquete - Gazeta de Rio Preto
GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Educação

Rio Preto tem escola para gênios da tecnologia

Crianças e adolescentes, além de aprender a criar jogos e aplicativos, também desenvolvem educação financeira na instituição

Cada vez mais crianças e adolescentes incorporam o uso dos aparelhos eletrônicos no dia a dia. Seja pela facilidade do manuseio ou gosto por novas tecnologias. É comum ver os pequenos usando smartphones ou tablets como entretenimento. Foi pensando neste aspecto que surgiu a Buddys Escola de Tecnologia. A instituição chegou em março a Rio Preto com o objetivo de aprimorar o raciocínio lógico e também ensinar crianças e adolescentes, de 7 a 16 anos, a criar jogos, programar sites e aplicativos. Atualmente a escola já conta com 20 estudantes matriculados.

“Os alunos descobrem aqui o mundo do empreendedorismo tecnológico, fundamental para que eles passem a ser muito mais do que apenas consumidores. Sabemos que o uso excessivo destas tecnologias pode ser prejudicial. Então, direcionamos o potencial de cada aluno para um caminho produtivo. Ao invés de apenas jogar, porque não desenvolver os próprios jogos e aplicativos. Usar esse interesse para roduzir algo voltado para a sociedade e para a família”, afirma João Aleixo Bezerra, diretor da Buddys Rio Preto.

Um exemplo citado pelo diretor foi o de um aluno que quis criar um aplicativo para a mãe que é diabética. O app seria usado para controlar a dieta dela. “Ele calculou o índice glicêmico de cada alimento e quando a mãe come, por exemplo, uma quantidade de arroz, ela adicionava no aplicativo e tinha a noção de quanto estava o seu índice glicêmico”, conta João. A escola oferece aulas modulares que ensinam os alunos de forma individual a utilizar a tecnologia, sempre auxiliados por um professor e por conteúdo online. “Cada aluno aprende no seu ritmo e escolhe o projeto que quer desenvolver”, afirma o diretor da Buddys.

Educação financeira

A cada etapa avançada e missões cumpridas, o aluno ganha pontos que viram BuddyCoin, uma moeda virtual exclusiva da escola que permite aos alunos adquirirem prêmios e outros produtos ligados ao mundo da tecnologia. “Mostramos que o interesse e dedicação podem trazer recompensas. Quanto mais o aluno produzir, fazer tarefas, conseguir boas notas na escola, ele receberá essa nossa moeda virtual. O intuito é desenvolver essa percepção dos valores das coisas. Na prateleira de prêmios, ele vai verá que determinado objeto tem seu preço e quanto mais caro for, exigirá mais disciplina, mais dedicação que acaba sendo uma educação financeira simplificada”, conta. Criada em 2014, a Buddys Escola de tecnologia, nasceu em Minas Gerais e já atua nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina e Rio de Janeiro.

 

Por Alex Pelicer em 12/04/2018 às 23:59