Educação

Escola se recusa a matricular criança com déficit de atenção

Em Rio Preto, mãe de uma criança de oito anos teve que procurar outra escola após instituição privada se recusar a receber filha com TDAH

Será que meu filho é portador de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) ou é apenas falta de limites? Aposto que esta dúvida já passou pela cabeça de muitas mães, mas o fato de ter a rematrícula da filha recusada pela escola, com este argumento, deixou uma mãe ‘sem chão’ em Rio Preto. Mesmo amparada na lei, a enfermeira Amanda Fernandes Lins teve problemas. A menina de 8 anos seria matriculada no segundo ano do Ensino Fundamental, mas a mãe foi orientada a procurar a Apae, instituição que segundo funcionárias da escola poderia acolher a criança.

A mãe procurou outra unidade de ensino e hoje a filha se desenvolve muito bem, com o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade controlado e a lei do seu lado. De acordo com a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e Adolescente (Lei n. 8.069/90) em seu art. 53, é garantida a criança e ao adolescente o direito à educação, visando o desenvolvimento de sua pessoa assegurando-lhe igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.

O fato de o menor ser portador de TDAH não pode servir de motivo para que a escola rejeite sua permanência. De acordo com o advogado especialista em Direito Empresarial, Civil e Trabalhista, Luis Fernando de Biasi Filho, nos últimos anos os pais têm procurado seus direitos ao se depararem com a recusa da escola em aceitar o filho na escola, ferindo o dispositivo constitucional que assegura o direito a inclusão escolar, e também ao artigo 8°, I, da Lei 7.853/89.

O caso parece ser ‘de novela’, mas acontece o tempo todo e é preciso entender sobre o que estamos falando. O primeiro passo é entender o TDAH, um transtorno neurobiológico que aparece na infância e que na maioria dos casos acompanha o indivíduo por toda a vida. Ele se caracteriza pela combinação de sintomas de desatenção, hiperatividade (inquietude motora) e impulsividade, sendo a apresentação predominantemente desatenta conhecida por muitos como DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). “Todo mundo, em certo grau, é disperso e tem dificuldade para manter-se focado, mas o fator determinante para saber se a criança pode ter TDAH é o prejuízo que esses sinais trazem à vida dela”, diz o psiquiatra Paulo Mattos, presidente do Conselho Científico da Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA).

 

Um dos desafios do diagnóstico do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade é eliminar as possibilidades de que os sintomas apresentados pela criança tenham outras causas. Depressão, distúrbios de ansiedade, dislexia, autismo, problemas de visão, anemia e até abuso ou negligência por parte dos pais podem levar a criança a perder o foco e a atenção. Por isso, só um médico especializado e bem treinado é capaz de identificar o TDAH, um dos transtornos mentais que mais afetam as crianças, só perdendo para a ansiedade e os distúrbios de aprendizagem. Na dúvida, procure um especialista, e em caso de discriminação por parte da escola, procure seus direitos!

 

 

Notas

Capacitação para área da Saúde

Rio Preto recebe no dia 25 de novembro, no Hotel Nacional, o Workshop ‘Excelência para Referência’, exclusivo para secretárias de clínicas e hospitais da cidade e região. O evento, que reúne empresas com foco na saúde, traz como palestrante Márcio Luiz Lima de Souza, especialista em marketing estratégico e articulista da Revista DOC Gestão em Saúde e do blog Saúde Business. O objetivo principal é aprimorar o conhecimento e atendimento das secretárias, tornando-as mais produtivas e comprometidas, além de desenvolver habilidades e competências necessárias para a gestão e produtividade de um consultório médico. Inscrições pelo whatts: (17) 99229.7166

Workshop Saudável

Quem aqui é mãe e já não ficou em dúvida sobre opções saudáveis para o lanche das crianças? Como não se render aos industrializados? Essa dúvida também vale para a chegada das festas de fim de ano. É possível fazer algo saboroso e ‘fit’? Atendendo a pedidos, a nutricionista Milena Kerbauy, em parceria com a Farmácia Manipulare, traz para Rio Preto a engenheira de Alimentos Lais Del Bianco, com o Workshop Comidinhas Kids + Culinária Natalina – Receitas Fit, LowCarb, Zero Glúten e Zero Lactose. O evento acontece no dia 2 de dezembro e as inscrições podem ser realizadas pelo telefone (17) 99782.8912. As vagas são limitadas!

Seminário discute tecnologia e medicina diagnóstica no Brasil

A Shift, empresa especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para medicina diagnóstica e preventiva, realiza em Rio Preto, nos dias 9 e 10 de novembro, o 14º Seminário Gerencial. O evento conta com uma programação completa sobre medicina diagnóstica, tecnologia e saúde. Entre os painéis está um sobre tendências e desafios do setor de análises clínicas, mediado por Daniela Camarinha, CEO da YouCare, empresa focada no setor de saúde e marketing estratégico. A discussão conta com a participação dos presidentes da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial, Alex Galoro e Sociedade Brasileira de Análises Clínicas, Luiz Fernando Barcelos. Eles apresentarão dados atualizados da medicina diagnóstica no país, que vive um período de mudanças.

Jogos Universitários de Medicina

Cerca de 300 alunos do curso de medicina da FACERES embarcam na próxima quarta-feira para o Tormed - Torneio das Faculdades de Medicina, que reúne oito instituições do interior paulista. A FACERES, campeã das outras quatro edições, busca neste ano o pentacampeonato. Os jogos serão em Taquaritinga e são tradicionais no calendário das faculdades que participam. Modalidades como: natação, atletismo, futsal, basquete, vôlei e handebol estão na escala do torneio nas categorias feminino e masculino. Além da participação nos jogos, a FACERES disputa com a bateria que é destaque em diversas competições universitárias.

Por Izabela de Paula em 31/10/2017 às 23:59
JK Essencial Residence