ENQUETE GAZETA Enquete - Gazeta de Rio Preto
GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Bolsa de Mulher

Brasil ocupa a 75º posição no ranking de países mais solidários

Pesquisa aponta ainda que um em cada 5 brasileiros faz trabalho voluntário

O Brasil está longe de ser um exemplo de caridade, mais precisamente há 74 posições do Myanmar, o país mais solidário do mundo entre 139 nações, segundo estudo global anual realizado pelo Country GivingReport 2017. O Brasil não ocupa o pódio, mas se destaca quando o quesito é ajudar o próximo. O país é referência quando o assunto é trabalho voluntário e é o quinto país do ranking mundial.Um em cada cinco brasileiros realiza trabalho voluntário. Quando questionados pela pesquisa opor quê de realizarem doações, a maioria dos brasileiros respondeu que pratica a solidariedade para se sentir bem, e segundo a psicóloga Rita Bordon eles estão certos, já que fazer o bem traz benefícios à saúde da mente. “Fazer o bem para o próximo faz bem para quem doa, já que a pessoa desenvolve a capacidade de se colocar no lugar do outro”, completa Rita. A chef confeiteira Larissa Peres, 31 anos, sabe bem disso. Para ela, doar o que não é mais usado, o alimento comprado ou qualquer outro item necessário, faz bem principalmente para quem prática a solidariedade. “É uma forma de retribuir tudo de bom que Deus faz na nossa vida, pela nossa família”, conta Larissa.

O último ato solidário de Larissa foi por meio do trabalho dela. Ela faz bolos para vender, e doou cinco para serem vendidos em um brechó que será realizado em Rio Preto, no domingo (14), em prol da menina Beatriz Migliari Nascimento, de dois anos, que está em tratamento de leucemia no hospital Samaritano, em São Paulo. A Bia, como é conhecida nas redes sociais, luta contra o câncer de sangue desde os sete meses. Os cuidados foram iniciados no Hospital da Criança e Maternidade, mas ela precisou ser transferida para iniciar um tratamento com mais recursos, e os pais, Thiago do Nascimento e GiulianaMigliari, ambos socorristas do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), precisaram acompanhar a filha, que só poderá deixar o hospital na capital quando um doador de medula óssea compatível for encontrado, e o transplante realizado.

Assim como a Larissa, você também pode ajudar a Bia. O brechó será no próximo domingo, dia 14, a partir das 10h, na Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar, que fica na rua Coutinho Cavalcante, 1274 – Jardim Alto Alegre.

Não há desculpas para deixar a solidariedade de lado.Todos podem contribuir e ajudar de diferentes formas, seja a Bia, ou qualquer outra pessoa e causa que precise de cada um de nós. Doação não é só dinheiro.Generosidade é um bem muito mais valioso chamado tempo, feito de amor, carinho e atenção. 

Por Kelê Louis em 11/01/2018 às 23:59