Artigos

Por que estamos tão ansiosos?

Artigo escrito pela psicóloga Monica Soares

Primeiramente precisamos entender que ANSIEDADE é um sentimento NORMAL que nos acompanha desde sempre. É uma combinação de alterações físicas e psicológicas que serve para nos deixar em estado de alerta, prontos para agir diante de situações novas, de perigo, inusitadas, difíceis ou até mesmo muito desejadas.

Podemos ficar ansiosos na véspera de uma viagem, ao fazer uma prova, ao iniciar em um novo emprego, enfim em diversas situações.

Portanto, sentir-se ansioso é normal, o problema é quando a ansiedade passa a dominar nossa vida, nos impedindo de agir, trazendo grande sofrimento.

A ansiedade tem sua origem na nossa história de vida, na maioria das vezes ela está relacionada a:

Perfeccionismo: O desejo de fazer tudo com perfeição faz com que a pessoa se torne ansiosa devido à preocupação excessiva com a opinião alheia;

Medos irracionais: Medos e fobias (voar, insetos e outros) podem desencadear uma forte ansiedade, apenas a ideia de enfrentar a situação causa forte incômodo.

Lembranças ruins: Experiências traumáticas vivenciadas no passado ficam gravadas na nossa memória (mesmo que inconsciente) quando vivenciamos alguma situação que por algum motivo remete a situação vivida, o medo de viver novamente a experiência causa forte ansiedade.

Insegurança: Pessoas inseguras por acreditarem ser inadequadas, inconvenientes ou incapazes de realizar alguma tarefa geralmente ficam muito ansiosas em situações consideradas simples pela maioria das pessoas.

Os principais sintomas físicos e psicológicos da ansiedade são:

•             Falta de ar;

•             Alteração no apetite (falta ou excesso);

•             Sudorese;

•             Boca seca;

•             Náusea;

•             Dores abdominais e diarreia;

•             Taquicardia e/ou aperto no peito;

•             Sensação constante que algo ruim irá acontecer;

•             Medo permanente sem motivo aparente ou em situações simples;

•             Tensão e nervosismo;

•             Insônia;

•             Agitação de pernas, braços e tremores;

•             Bruxismo;

•             Preocupação excessiva;

Diante de tudo isso, temos a impressão que estamos mais ansiosos, e essa impressão é real. De fato, o excesso de cobrança, stress, redes sociais, o perfeccionismo, a intolerância ao sofrimento, a busca pelo prazer constante nos faz mais ansiosos.

Para o controle da ansiedade existem fatores que contribuem muito como:

Terapia;

Atividade física;

Exercícios de Respiração;

Aumentar o tempo com amigos e familiares;

Reduzir o tempo em redes sociais;

Pensamento no aqui agora;

Autoconhecimento;

Cuidar de si mesmo;

Sono adequado;

É importante lembrar que nunca pratique a automedicação, que além de não ajudar pode muitas vezes agravar a situação.

Monica Soares é professora universitária, psicóloga, psicoterapeuta, especialista em educação e terapia sexual e aluna especial do Programa de Mestrado em Sexualidade-USP.

Por Monica Soares em 07/04/2017 às 10:48