Artigo Cultural

Outubro é um mês dez

Artigo escrito por Lucila Conte

Faz frio, chove, esquenta e as flores desabrocham nos canteiros. Os dias têm iridescências e as noites, brisas brincalhonas e românticos serenos.  

Santos de nossas devoções são celebrados desde o primeiro dia do mês: Santa Teresinha do Menino Jesus, São Francisco de Assis, São Benedito, Nossa Senhora Aparecida, (a Padroeira do Brasil), São Judas Tadeu.

É o mês do Rosário e por isso, mais e mais rezas do terço acontecem nas igrejas e nos lares dos católicos.

A cidadania foi colocada à mostra nas eleições. Em clima silencioso, prefeitos e vereadores foram escolhidos por cidadãos mais conscientes das dificuldades que todos enfrentaremos. Tempo de um estranhamento necessário para que aconteçam as mudanças necessárias em nosso país.

Que o nosso prefeito eleito seja abençoado com acertos para a alegria de todos. Que os vereadores estejam cientes da nobre missão que o povo lhes confiou!

E nosso continente americano foi “descoberto”... Fazemos parte do Novo Mundo. Talvez seja por isso que ainda temos certas dificuldades em compreender o que seja civilização... porém temos tanta facilidade para nos esquecer e para perdoar! Para nos alegrar, para suportar, para esperar bons amanhãs!  

Mês escolhido para incentivar as mulheres a se prevenirem do câncer de mama. Outubro Rosa que faz com que muitas mulheres se toquem, afastem o medo, busquem tratamento médico e se cuidem. 

E as crianças ganham destaque em comemorações e programações em clubes, escolas e nos shoppings. As revistas e os programas de televisão escolhem temas que enfatizem a infância: dietas, uso excessivo de celulares em jogos e em conversas pela internet, a escola, a moda infantil, os amigos, a turma: a inclusão e a exclusão, o consumismo, o abandono, o abuso sexual e toda sorte de maus tratos a que podem estar submetidas.

A qualquer sinal de maus tratos todos devemos denunciar!!  

Como a sociedade atual se organiza para que a criança nela se encaixe e sobreviva? Aos que viveram tempos diferentes, a situação da criança em nossos dias, causa no mínimo, perplexidade. 

Um dia desses ouvi uma criança pedindo à mãe para que deixasse o celular e conversasse com ela. Outra que pedia aos pais para que a servisse numa mesa de restaurante. Tenho visto e ouvido coisas que daria um compêndio para pedir perdão a Deus!!!

Como gosto de ler fico emocionada quando em livrarias vejo mães com suas crianças sentadas no chão lendo pra elas. Também quando em algum relance cruzo com cenas de pais dando mamadeira a seus bebês, enxugando com fraldas o restinho de leite nas bocas de seus filhos. Muitos penteando o cabelo, trocando camisetas, conversando com eles... 

O amor e o cuidado com as crianças é a regra geral, tenho certeza!!! Preciso acreditar que os selfies não são as prioridades da vida humana. Há ainda aqueles recatados e sagrados instantes, onde a cumplicidade tece seus laços de afetos. Vivas às crianças! A elas, cuidadoso amor de todos nós!

Os Mestres são homenageados no 15 de outubro: Dia do Professor. As lembranças dos olhares brilhantes dos alunos que levam flor ou um bibelô ou um doce a seu professor/a ainda encantam minha alma. Eu reconheço esse reverente sentimento, pois ainda o trago comigo. Aos meus mestres: eterna gratidão e carinho!      

Apesar das facilidades tecnológicas para se obter informações, à aquisição de conhecimento não bastam apenas alguns cliques nos celulares. A presença constante de um professor, que tenha doçura na voz, firmeza no olhar e gestos admiráveis plantará na alma do aluno a semente indispensável da humanidade. Só a generosidade pode plantar e cuidar dessa semente... Parabéns, professores! Que a sociedade e, sobretudo, os alunos saibam cuidar desses preciosos jardineiros...

Lucila Papacosta Conte, escritora e mediadora de estudos literários e filosóficos na Casa das Flores. Anthônia, heterônimo de Lucila – nas Cartas de Anthônia.

Por Lucila Papacosta Conte em 13/10/2016 às 22:50